segunda-feira, 30 de julho de 2012

Crítica - Batman: The Dark Knight Rises

Atenção: este artigo está livre de spoilers!


Sabe quando você sai da sala de cinema esperando mais? Pois bem, foi assim que me senti após conferir Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, que estreou no dia 27 de julho no Brasil. A produção dirigida por Christopher Nolan é sensacional, mas deixa quem assiste ansioso por mais - o que acaba não ocorrendo.

Faltou algo mais grandioso. O que sobrou em The Dark Knight (segundo longa da trilogia de Nolan) com a presença marcante do Coringa, falta nesse desfecho. Tá certo, Heath Ledger morreu, não tem como substituí-lo à altura, mas é evidente que os produtores tiveram que "se virar nos 30" após a morte dele e dar novo rumo ao esperado fim da trilogia. O Coringa seria o "grande agente do caos" em Gotham City, coisa que Bane (interpretado por Tom Hardy) não consegue ser.


Dos estreantes, Anne Hathaway se saiu muito bem como Mulher-Gato, mas tinha momentos que eu não entendia a presença da personagem no filme. Joseph Gordon-Levitt, no papel do policial John Blake (e muito mais do que isso), alterna bons e maus momentos. Já Michael Caine rouba a cena como o mordomo Alfred. Ele destoa em meio a algumas atuações simplórias, como a de Marion Cotillard (interprete da milionária Miranda Tate). Morgan Freeman, em suas poucas aparições, também consegue abrilhantar alguns momentos do filme. E Christian Bale segue firme como o melhor Bruce Wayne das adaptações das histórias do Cruzado Encapuzado para o cinema.

Enfim, The Dark Knight Rises é o desfecho de uma história maior, toda desenvolvida por Nolan, sem se basear nesse ou naquele arco do Homem-Morcego nos quadrinhos. É parte de um todo e deve ser analisado assim. Muitos podem gostar ou não, assim como ocorreu quando o sétimo livro de Harry Potter foi lançado.

Mas, se você é fã de Batman (ou dos filmes de Nolan), não deixe de conferir TDKR nos cinemas. E, de preferência, assista aos dois primeiros filmes antes. A experiência será mais rica. Afinal, você não assistiria ao final sem antes assistir o início e o meio, né?

Nenhum comentário:

Postar um comentário