segunda-feira, 23 de abril de 2012

Sobre o Pânico, panicat com cabelo raspado e a realidade do telespectador brasileiro

Emílio Surita, comandante do humorístico, ao lado
dos maiores expoentes do humor nacional: Carioca e
Edu Sterblitch
Durante a exibição do Pânico na Band na noite de ontem, observei vários internautas debatendo nas redes sociais "até que ponto a TV brasileira vai em busca de audiência". Tudo por conta de um quadro onde rasparam o cabelo da panicat Babi Rossi.

Muitos disseram que a atração comandada por Emílio Surita usou a pobre dançarina para alavancar audiência. Balela. A menina deve ter recebido um "plus" no salário para fazer isso e, o mais importante, aceitou ter o cabelo raspado. 

Outro comentário imbecil que li, e que foi amplamente difundido no Twitter: "enquanto alguns perdem o cabelo por doenças, o Pânico tira o cabelo dos outros por audiência"! É pra rir ou pra chorar?

Gostar do Pânico é uma coisa pessoal, cada um tem sua opinião ante ao controverso programa. Mas, há quase 10 anos sendo transmitido ininterruptamente em rede nacional, já era hora do telespectador saber qual a pegada do humorístico. 

Babi Rossi, panicat que teve seu cabelo raspado, "triste" com a perda
das madeixas - mas com a conta bancária cheia
Unindo humor non-sense e um pouco de sensacionalismo, o programa que nasceu na rádio Jovem Pan e atualmente tem a versão televisiva transmitida pela Rede Bandeirantes muitas vezes não agrada o "povão", acostumado com piadas do nível "Zorra Total".

Pode ser difícil para o mais conservador ler isso, mas o Pânico é - já faz algum tempo - o melhor programa humorístico da TV brasileira. Conseguir se renovar sem perder a essência é vital para um programa de sucesso. Aí você pode me falar "ah, então nossa TV está uma merda". Não, caro padawan. O que está uma merda é nossa sociedade, que prefere criticar algo que passa na televisão ao invés de pegar o controle remoto e colocar em outro canal.

2 comentários:

  1. Perfeito caro Roedel. A pegada é essa. A sacada é que gostando ou não o povão assiste - nem que seja pra meter o pau - e nessa onda os caras estão fazendo a publicidade deles. Sou a favor da liberdade que eles possuem pra ousar. O povo brasileiro é hipócrita, votar melhor e cobrar cultura o po povo não vota nem cobra!

    ResponderExcluir