terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Corinthians campeão da Libertadores?

Reprodução de uma publicação da época, que noticia a final
entre Corinthians e Boca Juniors
Não, o Corinthians nunca foi campeão da Copa Libertadores da América. Mas levou o caneco em uma competição muito semelhante ao principal torneio sul-americano: a Copa Atlântico de Clubes de 1956. Organizada pelas confederações de Argentina, Brasil e Uruguai, o campeonato foi realizado entre junho e julho daquele ano e contou com as principais forças destes países: São Paulo, River Plate, Santos, Boca Juniors, Peñarol, Fluminense, Nacional entre outros.

A Copa do Atlântico é reconhecida pela própria Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol, a IFFHS, como antecessora da Copa Libertadores, juntamente com o Campeonato Sul-Americano de Clubes de 1948, vencido pelo também brasileiro Vasco da Gama.

A final do torneio foi entre Corinthians e Boca Juniors, numa disputa melhor de três jogos. O clube argentino não concordou com a marcação da última partida para a cidade de São Paulo e desistiu após o primeiro jogo, vencido pelo Timão por 3 a 2. Com isso, a comissão organizadora declarou o clube paulistano como vencedor por W.O. da primeira e única edição da competição sul-americana.

Fica a pergunta: no meio de tantos reconhecimentos de campeonatos antigos por parte da CBF, por que a Copa do Atlântico e o Campeonato Sul-Americano não poderiam ser reconhecidos como Copa Libertadores da América? É uma coisa a se pensar... Fora que é de conhecimento geral que esta copa teve participação de equipes mais fortes e importantes que as atuais edições da Libertadores, que contam com inexpressivos times bolivianos e equatorianos. Apenas a nata do futebol sul-americano esteve presente na competição de 1956.

E você, reconheceria o título corintiano como Libertadores?

Confira os resultados do torneio vencido pelo Corinthians:


1ª Fase

Equipe #1Result.Equipe #2LocalData
Lanús 5 - 1 DefensorViejo Gasometro,
Buenos Aires
20 de Junho
Wanderers 2 - 1 San LorenzoEstádio Centenário,
Montevidéu
20 de Junho
Nacional 0 - 1 São PauloEstádio Centenário,
Montevidéu
23 de Junho
Corinthians 2 - 2 DanubioPacaembu,
São Paulo
23 de Junho
América-RJ 2 - 1 RacingMaracanã,
Rio de Janeiro
23 de Junho
Santos 4 - 0 River PlateVila Belmiro,
Santos
24 de Junho
Peñarol 0 - 1 Boca JuniorsEstádio Centenário,
Montevidéu
24 de Junho
  • O Fluminense entrou diretamente na segunda fase.
  • O Corinthians venceu o Danubio no pênaltis.


Quartas de Final

Equipe #1Result.Equipe #2LocalData
São Paulo 3 - 1 América-RJPacaembu,
São Paulo
30 de Junho
Wanderers 0 - 2 LanúsEstádio Centenário,
Montevidéu
30 de Junho
Boca Juniors 3 - 1 FluminenseViejo Gasometro,
Buenos Aires
1 de Julho
Corinthians 4 - 3 SantosPacaembu,
São Paulo
4 de Julho


Semifinais

Equipe #1Result.Equipe #2LocalData
Boca Juniors 2 - 0 LanúsViejo Gasometro,
Buenos Aires
5 de Julho
Corinthians 2 - 0 São PauloPacaembu,
São Paulo
7 de Julho


Final

Equipe #1Result.Equipe #21º jogo2º jogoPlayoff (se necessário)
Corinthians 3 x 2 Boca Juniors3 x 2------
  • O primeiro jogo da final foi realizado no dia 19 de Julho no Estádio La Bombonera, o segundo jogo marcado para o Estádio do Pacaembu acabou por não ocorrer, já que o Boca Juniors ficou irritado com a eventual terceira partida ser realizada também em São Paulo. O Corinthians foi declarado campeão por W.O.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Saiba como bloquear as páginas de "humor" no Facebook

Se você cansou de páginas tipo "O melhor do melhor do
melhor do melhor do melhor do melhor do melhor do melhor
do melhor do melhor do melhor do melhor do mundo", este
post é a solução!
Desde que o Facebook implementou a função "Compartilhar", milhares de páginas sem graça, que usam tirinhas ou memes já utilizados em blogs do gênero, começaram a surgir. Teve que adorou, mas - assim como eu - uma grande parte dos usuários da rede social de Mark Zuckerberg não curtiu nada nada essa história. Afinal, o Facebook é uma rede de interação entre pessoas, num 9GAG da vida!

Pois bem, saiba que dá para bloquear esse tipo de página. O sistema é meio complexo, pois o Facebook não permite que você simplesmente vá até a página a ser bloqueada e efetue o bloqueio. Para isso, você deve seguir os passos abaixo:

  • Vá até a página “engraçada” (use a busca do Facebook) e curta ela. Sim, eu seu, mas é um passo necessário;
  • Espere alguma atualização da página ser publicada no seu feed de notícias ou no Ticker; assim que avistá-la, clique na seta no canto superior direito da atualização e, no menu suspenso, clique na última opção (Ocultar todos por [nome da página]);
  • Pronto!
Depois de tudo isso feito, volte até a página bloqueada e desfaça a "curtida". Meio complicado, mas é uma saída!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Documentário sobre a Democracia Corinthiana está disponível na internet

Wladimir com a camisa da democracia
Foi lançado e disponibilizado na internet nesta sexta-feira, dia 9 de dezembro, o documentário "Ser Campeão é Detalhe", que relembra a época da Democracia Corinthiana, instaurada no Timão no início da década de 1980 por Sócrates, Wladimir, Casagrande e outros grandes nomes.

O vídeo foi dirigido por Gustavo Forti Leitão e Caetano Biasi para uma avaliação da disciplina "Projeto em Cinema", no curso de graduação em Midialogia da Unicamp. O documentário, que começou de maneira independente, acabou ganhando novas proporções, foi patrocinado por grandes empresas e acabou produzido pela DNA Filmes.

O filme conta com depoimentos de Sócrates (que faleceu no último domingo), Wladimir, Zenon, Biro-Biro, Washington Olliveto, Juca Kfouri, Adilson Monteiro Alves, Waldemar Pires, Sérgio Scarpelli, Mário Travaglini, Prof. José Paulo Florenzano e Prof. Plínio Labriola.

Confira a produção:

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Todos os gols do Corinthians na campanha do penta!

Foram poucos, mas muito importantes... O renandalfabro postou no YouTube o vídeo abaixo, uma copilação de todos os gols do Corinthians no Campeonato Brasileiro. E tem cada golaço: o de Danilo contra o São Paulo, o petardo de Alex contra o Ceará, o drible de Cachito Ramirez contra o mesmo Ceará... Escolha o seu preferido!


Bom advogado, cliente estúpido

Há alguns anos atrás, um homem era julgado por um suposto homicídio.

Haviam evidências indiscutíveis sobre a culpa do réu, mas o cadáver não aparecera.

Quase ao final da sua sustentação oral, o advogado, temeroso de que seu
cliente fosse condenado, recorreu a um truque:

- "Senhoras e senhores do júri, senhor Juiz, eu tenho uma surpresa para todos", disse o advogado olhando para o seu relógio.

- "Dentro de dois minutos, a pessoa que aqui se presume assassinada, entrará na sala deste Tribunal".

E olhou para a porta.

Os jurados, surpresos, também ansiosos, ficaram olhando para a porta.

Decorreram-se dois longos minutos e nada aconteceu.

O advogado, então, completou:

- "Realmente, eu falei e todos vocês olharam para a porta com a expectativa de ver a suposta vítima. Portanto, ficou claro que todos têm dúvida neste caso, se alguém realmente foi morto. Por isso insisto para que vocês considerem o meu cliente inocente". (In dubio pro reo = na dúvida a favor do réu).

Os jurados, visivelmente surpresos, retiraram-se para a decisão final.

Alguns minutos depois, o júri voltou e pronunciou o veredicto:

- "Culpado!"

- "Mas como?", perguntou o advogado. "Eu vi todos vocês olharem fixamente para a porta, é de se concluir que estavam em dúvida! Como condenar na dúvida?"

E o juiz esclareceu:

- "Sim, todos nós olhamos para a porta, menos seu cliente..."

Moral da história:

"NÃO ADIANTA SER UM BOM ADVOGADO SE O CLIENTE FOR ESTÚPIDO".

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Palmeiras participaria de 2º Mundial da FIFA

Nem todo palmeirense sabe dessa: em 2001, a FIFA realizaria na Espanha o que seria o 2º Mundial de Clubes oficializado pela entidade. Acontece que, em cima da hora, a ISL, empresa suíça parceira da entidade futebolística, faliu. Com isso, o Mundial daquele ano foi por água abaixo.

Participariam desta competição: Al-Hilal, Boca Juniors, Palmeiras, Hearts of Oak, Los Angeles Galaxy, Jubilo Iwata, Wollongong Wolves, Zamalek, Galatasaray, Real Madrid, CD Olimpia e o Deportivo de La Coruña, campeão do país-sede.

A RFEF (Real Federação Espanhola de Futebol) havia proposto à FIFA a ampliação do campeonato para 16 clubes, concedendo mais duas vagas para a Conmebol e outras duas para a UEFA, alegando que desta forma a qualidade do torneio e o interesse do população aumentariam. 

A proposta foi aceita pelo comitê organizador do Mundial e apoiada pela presidente da FIFA, Joseph Blatter, além de ter sido aceita também pela Conmebol. Porém, com o adiamento e posterior cancelamento da competição, não se chegou a oficializar a mudança ou a anunciar os clubes que participariam do campeonato.

Coitado do clube brasileiro, que até já havia gastado com material de publicidade e informativos (como visto na foto). Certamente esse foi o maior drible tomado pelo Palmeiras em sua história.

Com informações: http://migre.me/71GYU

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Alfinetadas na propaganda

Peregrinando pelas redes sociais (como faço todo dia), me deparei com um comercial muito curioso do McDonald's, gigante norte-americano de fast food. Na propaganda, um garotinho usa uma artimanha bem interessante para que outros garotos mais velhos não roubem seu lanche. Confira:


Criado pela DDB, de Berlin, o comercial lembrou muito um antigo, onde um outro garotinho usa latas de Coca-Cola para conseguir comprar uma latinha de Pepsi. Veja abaixo:


E aí, até que ponto o uso de marcas rivais em comerciais é interessante? Não seria uma confusão criada por nada? Não seria até mesmo a exposição da marca rival num espaço que deveria ser usado para promover apenas sua marca? Comentem!

Uma constrangedora premiação

O prêmio "Craque do Brasileirão", evento organizado pela CBF anualmente após o término do Campeonato Brasileiro, teve na noite desta segunda-feira (5/12) sua edição mais constrangedora. A começar pelo discurso frio do presidente da entidade, Ricardo Teixeira. Além de não citar em nenhum momento o craque Sócrates, só o fato dele estar presente numa cerimônia dessas já é um absurdo.

E a vergonha alheia não parou por aí. Confusos, Tiago Leifert e Luciano Huck estavam desconexos durante a apresentação do evento, pareciam não saber a ordem dos acontecimentos. Um relaxo total! E de quem foi a ideia de convocar o governador paulista Geraldo Alckmin para apresentar um dos prêmios? O "picolé de chuchu" ficou perdidão! E a gafe do presidente da Câmara Marco Maia? O deputado deu uma bela cutucada no árbitro Leandro Vuaden, escolhido como o melhor da competição. Totalmente desnecessário, assim como a presença de políticos e cartolas.

Quadros de "humor" com humoristas do Zorra Total, dancinha esquisita de Leifert, jogador que não recebeu troféu porque estava dando entrevista para o Galvão Bueno, globais aparecendo mais que as estrelas do campeonato... Enfim, uma sucessão de trapalhadas! No quesito critério para a premiação, o "Craque do Brasileirão" pisou na bola legal: Tite, técnico campeão brasileiro e um dos destaques da campanha vitoriosa do Corinthians, ficou em terceiro lugar na categoria "Melhor Treinador". E o que dizer da escolha de Réver como melhor zagueiro? O atleticano quase caiu para a segunda divisão!

Por fim, outro fato vergonhoso dessa premiação: a entrega da taça. Ronaldo passa o troféu para o presidente do Corinthians Andrés Sanchez, que repassa para o capitão Alessandro, que o levanta com ajuda de Chicão, ex-capitão da equipe. Tudo isso de terno e gravata!!! Nada a ver com o clima de um jogo decisivo, com as arquibancadas lotadas, como foi o clássico contra o Palmeiras no final de semana... 

A taça deveria ser entregue no jogo. "Mas André, o Vasco também tinha chances, como a CBF iria proceder"? Simples: fizesse duas réplicas e enviasse nos jogos dos dois aspirantes ao título. Pronto! Mas acho que é querer organização demais dessa entidade que arruína o futebol nacional....

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Corinthians penta: um roteiro digno de cinema

Última rodada do Brasileirão. Clima tenso para todos os torcedores das equipes envolvidas. As horas que antecedem o apito inicial parecem lentas, quase uma eternidade. O torcedor mais despreocupado hasteia a bandeira do seu time, coloca uma música e toma uma cervejinha enquanto a carne assa. As ruas parecem mais movimentadas do que o normal. Os rojões ajudam a compor um cenário de pura tensão, que só virá a acabar com apito final do árbitro.

É nesse apito que o torcedor extravasa. O grito de "é campeão" não o contenta. Os mais impronunciáveis palavrões são ditos nessa hora. É o momento em que até o mais tímido se solta.

A singela homenagem ao Doutor Sócrates
E coube ao torcedor do Corinthians esse privilégio. Após sete meses de espera, o alvinegro pode dizer com todas as letras: P-E-N-T-A-C-A-M-P-E-Ã-O. A história do título corintiano é muito interessante, parece ter sido escrita por um criativo roteirista de Hollywood. Recém-eliminado da Libertadores ainda na primeira fase e vice-campeão Paulista, o time de Parque São Jorge entrou na disputa do Brasileirão sob a desconfiança da Fiel torcida.

Sem um elenco de alto nível, com jogadores limitados e um técnico que até então não havia demonstrado a segurança necessária, o Timão era dado como carta fora do baralho. Mas, para a surpresa de todos, o início de campeonato do time foi avassalador, conquistando várias vitórias seguidas. Essa sequência positiva (a chamada "gordura extra") ajudou - e muito - na conquista da taça.

Mas, como em todo bom roteiro, sempre existe a figura do antagonista. Caberia esse papel ao Flamengo, embalado com as boas atuações de Ronaldinho? Até uma parte do campeonato, sim. No entanto o clube da Gávea não demonstrou ter competência para esse papel, que acabou caindo nas mãos do Vasco, que apresentou uma atuação digna de Oscar na Copa do Brasil.

O cruzmaltino foi o time que jogou mais futebol. A taça estaria em excelentes mãos caso a equipe carioca a conquistasse. Lembrou aqueles filmes em que o coadjuvante tem mais destaque que o protagonista, mas o roteiro já havia sido traçado para que este se dê bem no final. As coisas conspiravam para o Corinthians. Gols nos minutos finais, derrotas vindo quando eram aceitáveis e atuações convincentes na reta final firmaram o Timão como o favorito ao título.

Ainda relacionando cinema com futebol, quis o destino que um dos maiores ídolos corintianos, Sócrates, morresse no dia da decisão, hisória que nenhum roteirista escreveria. Uma tristeza sem fim, mas que motivou ainda mais os jogadores e torcedores para o jogo final, contra o arquirival Palmeiras. A singela homenagem no Pacaembu, onde todos levantaram os braços com o punho cerrado (em referência às comemorações do Doutor), foi de arrepiar.

Dentro de campo, um jogo feio e truncado. O Verdão foi até melhor, mas o Timão soube se defender bem e jogou "com o regulamento embaixo do braço". Enquanto os mais de 35 mil torcedores presentes no estádio paulistano sofriam na espera do fim da partida, no Rio de Janeiro Vasco e Flamengo empatavam. Pronto. O título já estava decidido antes mesmo do jogo do Corinthians ter acabado.

Pela Fiel. Para o Povo. Por Sócrates.

Um time sem um destaque, pois o destaque é o próprio time. A união. A coletividade. A "titebilidade".

Corintiano costuma dizer que não vive de títulos, vive de Corinthians. Eu não concordo. Corintiano vive de Corinthians e títulos. Sofridos, mas indiscutíveis.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Watchmen 2 pode finalmente sair

De acordo com o site Bleeding Cool, o desenhista Andy Kubert (filho do lendário Joe Kubert e irmão de Adam Kubert) foi contratado pela DC Comics para trabalhar em uma das quatro novas minisséries de Watchmen, um dos marcos das histórias em quadrinho de todos os tempos.

As histórias serão prelúdios à obra original de Alan Moore e Dave Gibbons. Outros autores que podem fazer parte do projeto são J. Michael Straczynski, Darwyn Cooke, J.G. Jones e o próprio Gibbons, ao lado do colorista John Higgins. Apesar da editora não ter se manifestado oficialmente, tudo indica que a obra vai sair mesmo.

Quem não gostou muito foi Moore, criador da série original, contrário à ideia. "Eu disse pra eles (DC) que se tivessem dito isso 10 anos atrás, quando eu fiz esse pedido, aí poderia ter dado certo. Mas hoje em dia não quero Watchmen de volta. Com certeza não nesses termos", disse o roteirista criador de épicos como "A Piada Mortal".

Dica de Filme

Aproveitando o tema, nada melhor do que indicar Watchmen, filme de 2009 dirigido por Zack Snyder. A transposição das páginas para a telona não agradou muito o fã mais xiita, mas foi muito bem feita. Eu gostei muito, até por ter sido meu primeiro contato com o universo criado por Alan Moore. Talvez se tivesse lido a HQ primeiro minha opinião seria diferente. Recomendo a edição de colecionador em blu-ray, que custa por volta de 40 reais nos principais e-commerces.

Frase do dia

Por último, aqui vai uma frase do Rorschach, um dos principais personagens de Watchmen:

"O mundo desgovernado não é moldado por forças metafísicas. Não é Deus que mata as crianças, não é o acaso que as trucida, nem é o destino que as dá de comer aos cães. Somos nós. Só nós."

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Senado aprova PEC dos Jornalistas: primeiro passo rumo à vitória

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que restabelece a exigência de diploma para o exercício da profissão de jornalista foi aprovada em primeiro turno pelo Senado nesta quarta-feira, 30 de novembro. Foram 65 votos a favor e sete contrários à proposta. Uma grande vitória de todos os jornalistas.

Mas qual a finalidade do diploma?

Afinal, ter diploma de jornalismo pra quê, se todo mundo sabe o que é lead? Se todo mundo sabe o significado de TP? Se a teoria de McLuhan é ensinada no primário? Se "pescoção", "barriga" e "foca" são gírias comuns? Se todo mundo escreve na forma de pirâmide invertida? São incontáveis as lições que só se aprendem na faculdade.

O diploma faz toda a diferença. É ele quem valoriza nossa profissão. É ele quem dá credibilidade e conhecimento específico para exercê-la. "A formação em Jornalismo, que deve ser constante e aprimorada durante toda a vida, é a base inicial para o exercício regulamentar da atividade", disse Beth Costa, presidente da Federação Nacional dos Jornalistas.

Um dos argumentos utilizados pelos "nobres" ministros em 2009 para a suspensão da obrigatoriedade do diploma foi que a profissão de jornalismo não coloca em risco a vida de outra pessoa. Como não? Um jornalista sem formação necessária pode ser tão fatal quanto um açougueiro operando alguém.

Outro argumento utilizado pelos senadores contrários foi o de que a votação para o retorno da exigência do diploma não atende ao interesse da sociedade. Como não? A população merece um jornalismo de qualidade, fundamentado em preceitos democráticos e éticos. Tal formação só pode ser adquirida em um curso superior.

Por fim, parabenizo os senadores que, com interesses pessoais ou não, votaram pelo retorno da exigência do diploma, pelo retorno da dignidade da profissão. E aos que alegam que obrigatoriedade de que tal artefato coloca em risco a liberdade de expressão, deixo aqui a fala do senador Inácio Arruda, do PC do B-CE: 

‎"Arguir que a profissão de jornalista criaria embaraço para a liberdade de expressão e do pensamento é um verdadeiro escárnio. O que cria embaraço para a expressão da liberdade de pensamento é o monopólio na mídia".


Com informações do Estadão.