terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Uma constrangedora premiação

O prêmio "Craque do Brasileirão", evento organizado pela CBF anualmente após o término do Campeonato Brasileiro, teve na noite desta segunda-feira (5/12) sua edição mais constrangedora. A começar pelo discurso frio do presidente da entidade, Ricardo Teixeira. Além de não citar em nenhum momento o craque Sócrates, só o fato dele estar presente numa cerimônia dessas já é um absurdo.

E a vergonha alheia não parou por aí. Confusos, Tiago Leifert e Luciano Huck estavam desconexos durante a apresentação do evento, pareciam não saber a ordem dos acontecimentos. Um relaxo total! E de quem foi a ideia de convocar o governador paulista Geraldo Alckmin para apresentar um dos prêmios? O "picolé de chuchu" ficou perdidão! E a gafe do presidente da Câmara Marco Maia? O deputado deu uma bela cutucada no árbitro Leandro Vuaden, escolhido como o melhor da competição. Totalmente desnecessário, assim como a presença de políticos e cartolas.

Quadros de "humor" com humoristas do Zorra Total, dancinha esquisita de Leifert, jogador que não recebeu troféu porque estava dando entrevista para o Galvão Bueno, globais aparecendo mais que as estrelas do campeonato... Enfim, uma sucessão de trapalhadas! No quesito critério para a premiação, o "Craque do Brasileirão" pisou na bola legal: Tite, técnico campeão brasileiro e um dos destaques da campanha vitoriosa do Corinthians, ficou em terceiro lugar na categoria "Melhor Treinador". E o que dizer da escolha de Réver como melhor zagueiro? O atleticano quase caiu para a segunda divisão!

Por fim, outro fato vergonhoso dessa premiação: a entrega da taça. Ronaldo passa o troféu para o presidente do Corinthians Andrés Sanchez, que repassa para o capitão Alessandro, que o levanta com ajuda de Chicão, ex-capitão da equipe. Tudo isso de terno e gravata!!! Nada a ver com o clima de um jogo decisivo, com as arquibancadas lotadas, como foi o clássico contra o Palmeiras no final de semana... 

A taça deveria ser entregue no jogo. "Mas André, o Vasco também tinha chances, como a CBF iria proceder"? Simples: fizesse duas réplicas e enviasse nos jogos dos dois aspirantes ao título. Pronto! Mas acho que é querer organização demais dessa entidade que arruína o futebol nacional....

Nenhum comentário:

Postar um comentário