quinta-feira, 21 de abril de 2011

Bota a mão na cabeça para plagiar

Ontem foi um dia diferente na minha timeline do Twitter. No lugar de comentários sobre futebol, filmes e séries, meus seguidores viram mensagens sobre o caso do suposto plágio da banda de axé Parangolé sobre uma música do Angra, de heavy metal. As informações completas do caso você pode ter aqui, no portal G1, mas, em resumo, a discussão começou após o guitarrista Kiko Loureiro acusar os baianos de plagiar o riff (progressão de acordesintervalos ou notas musicais) da canção 'Nova Era', de 2001. O músico utilizou seu perfil no Twitter e iniciou uma grande confusão entre fãs dos dois grupos.


Não vou entrar no mérito de qual banda é melhor. Do Parangolé só conheço o famoso 'Rebolation' (quem não conhece?) e do Angra não conheço nada. Ouvi o riff tão discutido. O plágio é óbvio. O som dos 'caras do metal' é bom, mas não curto muito o estilo. No entanto, minha opinião foi essa (leia o tuite abaixo):



Bem, a música 'Nova Era' é de 2001. O plágio, 'Azevixe', é de 2007. Ou seja, a música do Parangolé já tem 4 anos e ninguém levantou a possibilidade de plágio antes? Hoje, graças à Deus, a internet está bem difundida, qualquer banda de garagem tem seus vídeos postados no YouTube, por exemplo. Então ninguém viu esse axé antes? Por que só agora, com o sucesso dos baianos, a acusação de plágio foi formalizada? É lógico que foi para aproveitar a crista da onda, processar quem não tem dinheiro para pagar indenização ninguém quer...

Coitados dos fãs de Parangolé (sim, eles existem), que ficaram num fogo cruzado, sendo chamados de ignorantes pelos fãs de Angra. Tenho certeza que os membros do grupo não apoiariam tamanha bestialidade de alguns de seus seguidores, que acham que só o que eles gostam que é bom. Me poupem, o país tem uma diversidade cultural tremenda, com música para todos os gêneros e idades! Se você não gosta de algo, respeite quem goste.

Tenho vários amigos que gostam de Angra (nem sabia que eram tantos assim). Nenhum gosta de Parangolé. Mas, e se tivesse? Será que eles gostariam de ler os insultos que foram escritos no Twitter ontem a noite? Pense bem, fã de Angra: se você não gostou da minha trollagem (ato de desestabilizar uma discussão) imagina o menina que é louca por Parangolé, será que ela não se sentiu ofendida?

Bem, acho que o que ficou no final de tudo foi uma lição de respeito. Respeitar o gosto do outro é, antes de tudo, proteger o que você gosta, para que no futuro não denigram seus ídolos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário